Pular para o conteúdo
Voltar

Agência Estadual de Regulação inicia campanha de fiscalização de desempenho de usinas hidrelétricas

No Estado de Mato Grosso serão 11 usinas a serem objetos da fiscalização por parte da AGER
AGER-MT

ILUSTRAÇÃO - Foto por: ASSESSORIA
ILUSTRAÇÃO
A | A

Foi iniciada pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (AGER/MT), em conjunto com A Agência Nacional de Energia (ANEEL) e demais agências estaduais conveniadas, a Campanha de Fiscalização do desempenho de Usinas Hidrelétricas não Despachadas Centralizadamente.

Na etapa inicial de monitoramento foram utilizados dados do período compreendido entre setembro de 2019 e agosto de 2020, tendo sido identificadas e selecionadas usinas com déficits de energia efetivamente gerada em relação à suas garantias físicas, cujos fatores de capacidade efetivos sugerem performance notadamente abaixo da média das demais centrais hidrelétricas, numa mesma sub-bacia hidrográfica.

Conforme explicou o coordenador Regulador de Energia da (AGER/MT), Thiago Alves Bernardes, “a fiscalização de usinas hidrelétricas não despachadas centralizadamente (UHEndc) abrange o universo de usinas participantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE), e tem por objetivo avaliar se o serviço prestado por essas corresponde ao nível de desempenho operacional mínimo exigido com base nos critérios definidos, por meio de indicadores, pela ANEEL”.

Em todo o Brasil, foram selecionadas previamente, na fase de monitoramento, um total de 69 usinas hidrelétricas, entre CGHs, PCHs e UHEs. No Estado de Mato Grosso serão 11 usinas a serem objetos da fiscalização por parte da AGER, são elas: PCH Da Fazenda, PCH Bocaiúva, PCH Santana I, PCH Rio do Sapo, PCH Pampeana, PCH Graça Brennand, PCH Salto, PCH Figueirópolis, PCH Buriti, PCH Indiavaí e PCH Salto Corgão.

O Diretor Regulador de Energia, Wilber Norio Ohara, destacou a importância do convênio entre ANEEL e AGER. “A AGER desenvolve, por delegação da ANEEL, as atividades de fiscalização dos serviços de geração e distribuição de energia elétrica, além da ouvidoria setorial. Esse convênio é muito importante para o Estado de Mato Grosso, pois possibilita uma atuação mais efetiva do regulador.”.

Para mais informações, acesse o LINK.