Pular para o conteúdo
Voltar

Diretoria da Ager trata na próxima segunda-feira (2) do Reajuste Tarifário da MT-100

Ascom | Ager-MT

- Foto por: Tchélo Figueiredo Secom-MT
A | A

Na próxima segunda-feira (2) a Diretoria Executiva da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager) realiza a 64° Sessão Regulatória para deliberar sobre o Reajuste Tarifário da Concessão da Rodovia MT-100, às 15h, na sala de reunião da presidência.

A diretoria executiva da Ager é composta pelo presidente regulador, Fábio Calmon, diretora reguladora de Energia e Saneamento, Gisele Rios, diretor regulador de Ouvidoria, José Rodrigues, e o diretor regulador de Transportes e Rodovias, Paulo Henrique Guimarães. 

 

Pedágio

O contrato será regulado e fiscalizado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager-MT). Somente após a liberação por parte da agência, a concessionária poderá implantar a cobrança do pedágio. O trecho concessionado de Alto Araguaia a Alto Taquari prevê duas praças de pedágio, sendo a primeira no km 11 e a segunda no Km 83 da rodovia.

“Cabe à Ager fiscalizar e regular este contrato para manter ele viável e um preço justo para a sociedade. Caso haja irregularidades, a Agência pode multar a concessionária. A rodovia terá fiscalização com câmeras das quais a Sesp, a Sinfra e a Ager também terão acesso. Então esta é uma concessão moderna como Mato Grosso merece. O governador Mauro Mendes está de parabéns ao inaugurar uma concessão com benefício extremo para a sociedade”, destacou o presidente da Ager, Fábio Calmon.

O prefeito de Alto Araguaia, Gustavo Melo, aprovou a cobrança de pedágio, destacando que a medida vai garantir que a rodovia permaneça em boas condições de segurança e trafegabilidade. O gestor lembrou de como era a rodovia antes da concessão.

“Sabemos que neste momento o Governo do Estado fez a melhor opção de implantar o pedágio na MT-100 de Alto Araguaia a Alto Taquari. Sem sombra de dúvidas vivíamos um caos, principalmente aqui no perímetro urbano. Eram mais de 20 mil pessoas reclamando constantemente da rodovia. Agora aguardamos as obras do contorno viário para que este trânsito pesado seja retirado da região central, melhorando o fluxo para o comércio local”.