Pular para o conteúdo
Voltar

ANEEL homologa reajuste tarifário anual da Energisa Mato Grosso

Assessoria de Imprensa | Ager-MT

- Foto por: google
A | A

Na última terça-feira (2) a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou o Reajuste Tarifário Anual da Energia Mato Grosso em 11,29%. Os consumidores atendidos em Baixa Tensão terão um reajuste de 11,21% e os consumidores atendidos em Alta Tensão um reajuste de 11,49%. O valor do reajuste começa a vigorar a partir do dia 8 de abril.

O reajuste acontece todos os anos e visa o equilíbrio econômico-financeiro da concessão.
Segundo Gisele Rios, diretora Reguladora de Energia e Saneamento da Ager no reajuste são
repassadas integralmente as variações dos custos da chamada Parcela A que são aqueles em
que a distribuidora tem pouca ou nenhuma gestão. São os custos relacionados à compra e
transmissão da energia elétrica e os encargos setoriais. Já a Parcela B, que se refere aos custos da distribuição propriamente dito, é corrigida pelo índice inflacionário IGP-M e Fator X.

“O objetivo do Fator X é estimar ganhos de produtividade da atividade de distribuição ecapturá-los em favor da modicidade tarifária em cada reajuste”, afirmou a diretora.

 

 

Segundo o coordenador Regulador de Energia da Agência, Thiago Alves Bernardes no atual
Reajuste Tarifário, a atualização da Parcela B impactou cerca de + 3,02 % e a recomposição da variação dos custos da Parcela A trouxe impactos total de +8,27%, totalizando, portanto, os + 11,29% de aumento.

“O reajuste da Energisa Mato Grosso foi impactado pelo aumento dos custos de aquisição de
energia, como por exemplo, da Usina Hidrelétrica de Itaipu que é precificada em dólar”,
finalizou.

 

 

A decisão pelo reajuste da tarifa de energia elétrica compete à Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. Por meio de um convênio de cooperação mantido com a ANEEL, a AGER realiza as atividades de fiscalização dos serviços de distribuição e geração de energia elétrica, além da atividade de mediação e ouvidoria.

 

Com o aumento na tarifa, a recomendação é que os consumidores utilizem a energia elétrica de maneira mais racional possível, visando minimizar os efeitos do aumento da tarifa.

 

Algumas cias são valiosas, como: Não demorar no chuveiro e desligar a torneira enquanto se ensaboa; Nos dias quentes, deixar a chave do chuveiro na posição verão; Preferir a luz natural durante o dia; Utilizar lâmpadas fluorescentes compactas mais econômicas; Não deixar a geladeira aberta por muito tempo e manter a borracha de vedação da porta sempre em boas condições e dar preferências para equipamentos elétricos com selo PROCEL de eficiência energética.

 

Com esse reajuste, os consumidores residenciais da Energisa Mato Grosso passam a ter a 9ª tarifa residencial mais elevada do país. Antes do reajuste a posição ocupada era 26ª de um total de 54 distribuidoras de energia elétricas no Brasil.